Vozes de amor: contra a violência, bem me quer uma flor

Este slideshow necessita de JavaScript.

Chamar a atenção para a importância dos afetos, especialmente no namoro, foi o propósito de várias atividades desenvolvidas nos meses de fevereiro e março, numa organização conjunta da Biblioteca Escolar, do Departamento de Educação Especial e da Equipa de Educação para a Saúde.

Em 22 de fevereiro, espalharam-se flores (gerberas) pelo pavilhão principal da escola sede, muitas delas com frases relativas à importância dos afetos e do respeito mútuo, escondidas atrás de códigos QR, deixando um rasto com forma de mulher.

Em 1 de março, era para ser uma flashmob… mas a chuva levou-nos para a Sala de Alunos. Aí foram simbolicamente dramatizadas cenas de violência física, seguindo-se uma pequena coreografia a partir da música Roar de Katy Perry, que apela à afirmação pessoal, interpretada pelos alunos dos cursos profissionais de Técnico Auxiliar de Saúde (10.º e 11.º anos) e Técnico de Multimédia (10.º ano) com apoio dos alunos com Currículo Específico Individual do Ensino Secundário. Foram ainda exibidos cartazes e distribuídos slogans alusivos ao tema.

Em 8 de março, Dia Internacional da Mulher, no intervalo da manhã, foram distribuídos bolinhos pelos alunos da Educação Especial acompanhados de versos das poetisas Florbela Espanca, Natália Correia e Sophia de Mello Breyner Andresen apelando ao amor e à vida de forma positiva. Também nesse dia, foi inaugurada uma exposição sobre as obras destas poetisas no espaço de exposições da biblioteca.

As obras destas três mulheres deram o mote à sessão de partilha de leituras dedicada à «Poesia no feminino» que decorreu no dia 21 de março, Dia Mundial da Poesia, na biblioteca da escola sede do Agrupamento, numa iniciativa aberta a toda a comunidade educativa que proporcionou intensos momentos centrados nas palavras e também com alguma música.

As atividades terminaram no dia seguinte, com a presença na escola dos autores da exposição «Respeita-me, meu amor», que esteve patente no pavilhão principal da escola sede, com fotografias de Andresa Olímpio, textos de Sérgio Guerreiro e ainda a participação de David Reis, do Círculo Cultural Mirense, entidade promotora da exposição. Ao longo da manhã, houve conversas com seis turmas do Ensino Secundário sobre a temática da violência no namoro, da forma como se manifesta e dos primeiros sinais que nos devem despertar.