A gralha Camila descobre a biblioteca

Camila sentada num livro

Era uma vez… Nas serras que rodeiam Porto de Mós, vivia uma gralha de bico vermelho chamada Camila. Camila era muito curiosa e gostava de saber tudo sobre todas as coisas. Quando era pequena, passava o dia a fazer perguntas à mãe, ao pai e aos vizinhos. No início, a mãe, o pai e os vizinhos tinham sempre resposta para todas as perguntas de Camila. E algumas não eram nada fáceis… Camila perguntava, por exemplo: – Porque é que o céu fica vermelho ao fim da tarde? E logo a mãe respondia: – Não vês, Camila, que é o reflexo do sol quando se deita no horizonte? Ou então queria saber porque é que, às vezes, chovem pedrinhas de gelo. Logo o pai lhe explicava que isso se devia ao congelamento das gotas de chuva. Mas, com o passar do tempo, as perguntas da Camila tornaram-se cada vez mais difíceis e os crescidos nem sempre sabiam responder. Um dia, a mãe de Camila disse-lhe: – Minha filha, eu sei que é muito importante saber coisas sobre as coisas. Mas a nossa sabedoria é limitada e começamos a não estar à altura da tua curiosidade. Por isso, talvez seja o momento de ires correr mundo, para aprender tudo o que não te podemos ensinar. Camila decidiu então partir. Quando chegou a uma povoação, viu um grupo de crianças que iam para a escola. Camila aproximou-se e começou a fazer-lhes todas as perguntas para as quais ainda não tinha obtido resposta. Mas os meninos explicaram-lhe que também eles andavam a aprender e ainda não sabiam o suficiente para lhe responder. Camila quis saber então onde podia ela encontrar essas respostas. – Nos livros – disse um dos meninos. – Nos livros? – perguntou Camila – E onde encontro eu os livros? – Numa biblioteca – respondeu-lhe outro – Temos uma na nossa escola. Se quiseres, podes vir connosco. Camila foi com as crianças. Entrou na biblioteca e procurou todas as respostas para as suas perguntas nos livros que estavam guardados nas prateleiras. E viu que havia também livros muito divertidos, com contos e histórias de encantar. E ficou muito satisfeita. Ficou tão satisfeita que decidiu que nunca mais se queria separar deles. E foi assim que se tornou na mascote da biblioteca. Outra das suas decisões foi a de ir de escola em escola, explicar aos meninos como é que os livros nos podem ensinar aquilo que não sabemos, e também que alguns nos podem divertir e encantar com contos e histórias de pasmar. Quando o professor bibliotecário visita as escolas, Camila vai também, escondida dentro dos livros. E lá fica a dormir até alguém a chamar.

Deixe uma resposta